O Brasil na mira e no roteiro da música negra

Que o Brasil está em evidência até o Sri Lanka discute em suas rodas políticas. O país passou a integrar o roteiro de organizações e produções nas mais diversas esferas, seja econômica, científica ou cultural. Nessa esteira, muitos artistas renomados e seus shows pirotécnicos passaram e seguem passando por aqui, na certeza do franco crescimento brasileiro e do nosso momento positivo no cenário mundial diante da crise constante a assolar o velho mundo e os Estados Unidos. Nessa tendência, percebemos a vinda de muitos músicos vinculados a estilos sonoros em ascensão pelo resto do mundo. Não exatamente artistas ou bandas renomados e populares, com público cativo e numeroso, ainda mais num país, digamos, inexplorado para eles. É o caso da black music e, principalmente, do afrobeat, o gênero que mais cresce em todos os cantos do planeta desde a morte de Fela Kuti, no fim do século passado.

Este mês esteve em São Paulo (principal difusor cultural brasileiro) e no Recife (cidade com fortes raízes africanas) a Antibalas Afrobeat Orchestra. Trata-se de nada mais, nada menos que a maior banda de afrobeat do mundo. Fundada em 1998, um ano após a morte do criador do gênero, Fela Kuti, a orquestra é a precursora dessa onda afrobeat revival, inclusive tendo participação na criação do musical FELA, da Broadway. Confere uma entrevista do trompetista Jordan McLean ao blog Radiola Urbana e já fica sabendo mais um pouco da história dessa fantástica banda. Aqui o site deles. Enquanto isso, ouve uma sonzera dos caras.

 

Dando sequência a essa prova de que o afrobeat se consolidou no cenário musical mundial e brasileiro veio a divulgação da programação 2012 da Virada Cultural de São Paulo, grande evento promovido pela Secretaria da Cultura da cidade que reúne milhões de pessoas pelas ruas em 24 horas de atividades ininterruptas. Teve repercussão muito positiva a grade programada para a Praça Júlio Prestes, com músicos nigerianos, ganeses, congoleses e de outras nacionalidades, incluindo brasileira, “refletindo a emergência da raiz negra na cena musical paulistana”. Estarão se apresentando, entre outros, o filho de Fela e a banda que o acompanhava, Seun Kuti & Egypt 80; Tony Allen (ex-baterista de Fela); Ebo Taylor; os paulistanos da Bixiga 70, excelente orquestra de afrobeat que recentemente lançou disco; grupos jamaicanos e neozelandeses.

Tony Allen, ex-baterista de Fela, se apresenta na Virada Cultural de São Paulo

Ao mesmo tempo, no palco da Praça República o tom é de jazz, hip-hop, soul e funk. Destaque para os americanos Roy Ayers, Charles Bradley e Larry Graham (ex-baterista da Family Stone e líder do Graham Central Station). Ocorrendo entre sábado e domingo, 5 e 6 de maio, a Virada Cultural é um evento tradicional na capital paulista, e a edição deste ano terá mais de cem palcos espalhados pela cidade, oferecendo as mais diversas expressões artísticas aos mais variados públicos. Pra saber mais, consulta a programação completa no site da Virada Cultural de São Paulo.

Maceo Parker com Fred Wesley e Pee Wee Ellis no BMW Jazz Festival

E tem mais. Entre os dias 8 e 13 de junho ocorre a segunda edição do BMW Jazz Festival, novamente em São Paulo e no Rio de Janeiro. Após a bem sucedida estreia, ano passado, a produção do evento buscou locais mais amplos, disponibilizando mais ingressos ao público. O Festival se consolida no calendário dos grandes eventos, novamente aplicando a fórmula de trazer nomes consagrados e revelações, promovendo um repertório coeso de diferentes linhas do jazz e suas vertentes. O grande destaque dentre os artistas relacionados, sem dúvida nenhuma, é o excelente saxofonista Maceo Parker, contando ainda com participações dos seus parceiros de J.B.’s Fred Wesley e Pee Wee Ellis. Certamente, artistas que valem a programação e a viagem. Dá uma olhada no que pode rolar dum encontro desses três monstros do funk.

 

Tu podes ver detalhes do BMW Jazz Festival no site do evento.

Ficamos na expectativa do que mais pode surgir esse ano. E de que eventos e festivais de tal porte sejam realizados pelas bandas do sul do Brasil, se um dia Porto Alegre conseguir atingir o nível cultural de uma capital do mundo como São Paulo.

 

Anúncios

Dia do vinil no Programa VooDoo de hoje

 

Após um final de semana sem Programa VooDoo devido ao jogo do Colorado no Gauchão, hoje tamos de volta!

E em homenagem ao Dia Nacional do Vinil, ontem, a sonzera é toda nos Long Plays.

Hoje liga na Ipanema às 19h e vem cair no groove ao sabor das bolachas.

Programa VooDoo
(apresentação: Oster)

IpanemaFM, 94.9 ou www.ipanema.com.br
(link “ao vivo”)

Sábado, das 19h às 21h

[30/04, segunda] Bonde VooDoo no Ocidente na véspera do feriado

No descanso contraditório do Dia do Trabalho, o Bonde segue a todo vapor. O baile não para, e a bonecada vai frenética pra mais uma véspera de feriado no Ocidente.

Nessa jornada de várias horas de groove, convidamos um verdadeiro patrão dos toca-discos. O paulista Ricardo Pereira vem passar seu aniversário trabalhando pra botar a pista abaixo com raridades no vinil. Em Florianópolis, Rick Jay – como é conhecido – comandava as noites de sábado na época de ouro do extinto bar Vecchio Giorgio. Também na ilha, foi um dos idealizadores da festa DA B.O.M.B., com todas as sonoridades negras e suas vertentes.

No OX, pra não dar descanso pras pernas tem o BatuqueSambaFunk do nosso irmão Fred Lima, marcando sua despedida da cidade em cuja vida cultural trabalhou por 13 anos. Após marcar época abrindo espaço à musica brasileira em Porto Alegre, desde o pioneiro Atelier 5 até os gloriosos anos do Pé Palito, ele voltará à sua cidade natal – São Paulo – pra encarar uma nova fase em sua vida profissional. Trabalhou com diversos nomes regionais, nacionais e até internacionais, e promete inundar o OX com os estilos pelos quais navegou nesses mares do sul, com muitas vertentes da música negra e brasileira.

A convocação tá feita. Dia 30, véspera de feriado, bate teu ponto no Templo da esquina famosa do Bom Fim. E pra não passar perrengue depois do expediente, não esquece os sapatos confortáveis. Pois a equipe de plantão é dedicada, e a noite vai ser puxada.

 

SERVIÇO

Bonde VooDoo no Ocidente
Oster recebe DJ Ricardo Pereira (SP)
Quando: 30/04, segunda, véspera do feriado, 22h
Local: Ocidente, João Telles esquina Osvaldo Aranha
Quanto: $30 na hora | $25 antecipado
Pontos de venda:
DonutsShop (Lopo Gonçalves, 108 – Cidade Baixa – 3086.0225/10h30-19h30)
Pandorga Loja Coletiva (Miguel Tostes, 897 – Rio Branco – 3086.0746/10h-20h)
Cozinha de Afrodite (João Telles esq. Henrique Dias – Bom Fim – 3377.8883/17h-22h)
Loja Beatnik (Shopping Total, loja 2186, 2º piso – 3018.7686/10h-22h)
BANX (Al.Maj.Francisco Barcelos, 127 – Boa Vista – 3012.7078/10h-24h)
Vulgo Store Moinhos de Vento (Pe. Chagas, 318 – 3014.1757/10h-20h)
Vulgo Store Iguatemi (3085.5310 – seg a sáb 10h-22h/dom 14h-20h)
Chilli Beans Barra Shopping (3257.9017 – seg a sáb 11h-23h/dom 14h-20h)

: : Os 100 primeiros pagantes levam uma cerveja cortesia : :

 

A arte desse Ritual foi obra do Thiago Syen (Curitiba).

 

Última homenagem ao PC Capoeira e fotos do Ritual #29

As fotos do Ritual VooDoo #29, no último domingo, estão no ar.

Agradecimentos a todos os participantes, em especial aos que lembraram PC Capoeira com vestes estravagantes e adereços loucos, pois “quanto mais louco, mais na moda”. Também ao convidado Porã, mais novo integrante da Família VooDoo. Confere as fotos no álbum do Flickr.

A noite foi marcada pela homenagem definitiva ao querido PC Capoeira. Comenta e ajuda a compartilhar este lindo video produzido pela Catraca Filmes:

 

Ficam nossa gratidão, nosso carinho e nosso respeito. E a difusão de valores como gentileza, humildade, alegria e amizade, sempre.

“PC Capoeira. Aqui e sempre.”

 

[08/04, domingo] Ritual VooDoo #29 convida Porã – Homenagem ao PC Capoeira

Passada a festa de aniversário, ainda avaliando o rescaldo das comemorações antológicas, de Trensurb, de BNegão, de funk até o caroço no Cais do Porto, o barco (o trem, melhor dizendo) segue e vamos nos estabelecendo na nova fase.

Esses dois anos com tanta bagagem nos credencia à maturidade. E já em abril o Ritual VooDoo vem com tudo, debutando mais um convidado em nossas pickups: Porã, jornalista, radialista, DJ, pesquisador, colecionador e percussionista nas horas vagas vai chegar junto no groove pra agregar mais uma seleção de ouvido qualificado pra VooDoo.

Porã já passou pelas principais FM’s de Porto Alegre, começando sua história na Ipanema, em 92. Participou de times de primeira, lançou diversas bandas gaúchas e teve programas voltados à música negra de todas as vertentes. Nos anos 90 foi DJ residente do Elo Perdido, tocando a nata da black music na pista da casa que marcou época na noite da capital, assim como em outras como Megazine, Garagem Hermética, Circus, Zelig, Opinião, Ocidente, Gê Powers.

A parceria com os DJ’s Kafu e Malásia rendeu a primeira festa dedicada ao disco “Racional” do Tim Maia, no então Cabaret Voltaire. Era o “Domingão Racional”, que balançava os domingos no início da década de 2000. Ou seja, ele entende de groove numa domingueira… E promete muito P-Funk, James Brown, Sly, Isaac Hayes, Meters, AWB, Commodores, Zapp, BT Express, Chic, Stevie Wonder, além do rei do afrobeat, Fela Kuti.

Chega junto pois é Ritual. É a tradicional domingueira do groove. E é um Ritual em homenagem à partida de um grande amigo, irmão, professor, nosso mestre… uma lenda. PC Capoeira, que foi ensinar passinhos nas pistas do céu, mas que sempre enviará sua alma pra dançar com a gente, pois “o soul é a música da alma, pra dançar com a alma”. A Lenda que Dança continuará dançando. E não vai parar nunca.

Monta teu figurino, arruma a peruca, pega aqueles óculos bem engraçados, coloca o sorriso no rosto, pernadas na pista e saudades no peito.

Lembrando: em nova casa, na esquina famosa do Bom Fim, no Ocidente!

 

SERVIÇO

Ritual VooDoo #29 – Homenagem ao PC Capoeira
Seletor residente: Oster
Convidado: Porã
Quando: 08/04, domingo, 21h
Local: Ocidente, João Telles esquina Osvaldo Aranha
Quanto: $25 na hora | $20 antecipado
Pontos de venda:
DonutsShop (Lopo, 108 – Cidade Baixa – 3086.0225/10h30 às 19h30)
Pandorga Loja Coletiva (Miguel Tostes, 897 – Rio Branco – 3086.0746/10h às 20h)
Cozinha de Afrodite (João Telles esq. Henrique Dias – Bom Fim – 3377.8883/17h às 22h)
Loja Beatnik (Shopping Total, loja 2186, 2º piso – 3018.7686/10h às 22h)
BANX (Al.Maj.Francisco Barcelos, 127 – Boa Vista – 3012.7078/10h às 22h)
Vulgo Store Moinhos de Vento (Pe. Chagas, 318 – 3014.1757/10h às 20h)
Vulgo Store Iguatemi (3085.5310 – seg a sáb 10h às 22h/dom 14h às 20h)
Chilli Beans Barra Shopping (3257.9017 – seg a sáb 11h às 23h/dom 14h às 20h)

: : Os 100 primeiros pagantes levam uma cerveja cortesia : :

 

A arte desse Ritual foi obra do Felipe Neb.

 

Obrigado por tudo, Pica das Galáxias

A Família VooDoo acordou nesse último sábado estupefata com uma notícia inaceitavelmente triste: faleceu um grande amigo, irmão, professor, mestre… uma lenda. PC Capoeira, a “Lenda que Dança”, parou de dançar neste plano e nos deixou, certamente indo ensinar passinhos nas pistas do céu.

Ainda não conseguimos entender. Se há algo a ser dito nessas horas, não sabemos. O que queremos – e devemos – é deixar nosso registro, a lembrança de um homem que marcou nossas vidas rapidamente, e cuja história aqui em Porto Alegre se confunde com a própria história da VooDoo, a qual ele ajudou a construir desde o início.

Antes da estreia da festa o Rafa fora a uma Soul, Baby, Soul! na Casa Rosa, no Rio, e se encantara com aquele negão regendo a pista de dança com suas fantasias e seu sorriso fácil, levando à pauta com Oster e Caiaffo. Sir Dema, grande parceiro e referência da soul music carioca, viabilizou a primeira vinda do mestre. Recomendações como “cuida do nosso menino de ouro, ele é único” nos fizeram ter a certeza de tratar-se de alguém especial. Em maio de 2010, na terceira edição da festa, íamos recebê-lo no Salgado Filho pela primeira vez. Lá o esperávamos e, pra nossa surpresa, ao avistarmos aquele sujeito alto e com roupas espalhafatosas, antes de qualquer reação ele nos olhou e, mesmo sem nos conhecer, veio falando, sorridente: “Família!”. Aquilo marcou. Assim começava uma linda trajetória que viria a fazer história nas pistas de dança de Porto Alegre. E em nossos corações.

 

Nessa primeira experiência, numa festa pra aproximadamente 30 pessoas, impressionou geral ao montar coreografias com quem nunca tinha visto, fazendo todos dançarem sincronizadamente, alternando filas e passos, deixando-nos arrepiados e boquiabertos, sem entender como conseguia aquilo… e extremamente felizes com algo tão bonito e divertido, no sentido mais puro da palavra. Taí… pureza. Mais simplicidade, humildade, gentileza… Talvez esses os predicados que o levaram a conquistar rapidamente todos que o conheciam por essas bandas. Desde então desfilou inúmeras fantasias divertidíssimas, tirando sarro de si mesmo, alegrando todo mundo. Um showman. E os sorrisos francos e brilhantes se proliferavam. E toda vinda sua era especial como um novo encontro, feliz como matar a saudade de um grande amigo. De um irmão. Ou de um pai.

Era o carisma em pessoa. Era o embaixador do soul. Deu oficinas de dança, multiplicando e cultivando amizades e admiradores. Quando a bonecada postava-se pelos cantos, avergonhada, ele ia lá pegar pela mão e levar pra pista. Chamava pro meio da roda, pra diversão. Todos, sem exceção. Ensinava a não ter medo, a dançar de qualquer maneira. A dançar e ser feliz. Carlinhos, praticamente um afilhado, virou Carlinhos Gentileza, ou só “Gentileza”, botando em prática a máxima de sua camiseta. Nessa, praticamente filha, ouviu as melhores palavras de incentivo e lições sobre as dificuldades da vida, e enfrentou com coragem uma lesão no quadril – sem poder dançar com o mestre – “pois tudo daria certo no final”. Jackson também integrou seu grupo de seguidores e parceiros na arte de botar fogo na pista. Roberta, Thiago, Mariana, Aline… Rubim, Oster, Caiaffo… Também levou pra pista Gê Powers, DJ Anderson, Kafu… Tonho Crocco, Trampo, Cikuta… Todo mundo, de todo tipo, de todas as cores, credos, preferências diversas, atividades distintas… em comum, todos admiradores incondicionais.

Jeremy, um dos patrões do Cabaret, chegou no meio duma VooDoo e falou, diante da massa regida pela “Lenda que Dança”: “Na casa temos festas lotadas sexta, sábado… seja qualquer dia, em nenhuma vejo as pessoas felizes como aqui”.

Na primeira VooDoo no Ocidente, diante da incredulidade do chefe da casa, Fiapo, que via toda a pista dançando sincronizadamente, PC participou do seguinte diálogo:

Fiapo: Que tá acontecendo lá embaixo?
PC: Ué, rapaziada tá dando umas pernadas…
Fiapo: Mas como?… Tu que tá fazendo isso?
PC: Eu não, eu tô aqui… Mas já já eu tô lá!
Fiapo: …
PC: Tááá ligaaado!!!

Assim, com seu jeito simples, conquistou Porto Alegre. Já conquistara o Rio, Minas… A China! Do mesmo jeito, carinhoso, conquistou uma ilha. A Ilha da Magia. Em janeiro Floripa se rendeu aos seus passos, na belíssima festa WhataFunk. Saiu de lá com mais uma filha, a Drika. E assim conquistaria quantos territórios lhe fossem apresentados. Assim conquistaria tantos filhos, afilhados, seguidores, irmãos, admiradores quantos estivessem pela frente. Assim sua família ia crescendo. E assim seu carinho, seus valores, iam se multiplicando.

 

 

Nos momentos de descanso (como assim descansar na companhia do PC?) queria ensaiar “aquele passinho que faltou” ou nos tirar do aconchego após uma refeição pra fazer uma coreografia. Dormia no chão; dizia que “dormir no colchão dava dor nas costas”. E não era brincadeira: botávamos colchão, ofertávamos cama, e ele dormia ao lado do colchão ou da cama… no chão. Mas também… dormia uma hora, uma hora e meia… e levantava pronto pra dançar.

Na churrascaria parecia uma criança em festa. Após comer picanha e costela, devorava, maravilhado, uma nova iguaria que descobriu com a gente: salsichão. Degustava sobremesas, melancias, frutas diversas… e voltava a comer aquele embutido saborosíssimo! Saboroso também era o pão com mortadela.

Talento incrível. Simpatia em pessoa. Ria de qualquer bobagem. Te dava conselhos de paizão. Contava histórias. Falava das dificuldades que teve na vida. E seguia no caminho do bem, distribuindo bondade. E ensinava, puxava pelo bracinho, e fazia de novo, e dava lições; e fazia tudo com o coração. Era quem tocava o zaraio nas pistas! Era o cara do “tááá ligaaado”! Era o PICA DAS GALÁXIAS!

Dá uma olhada na belíssima homenagem do Cultne ao mestre:

A vida colocou muitas barreiras em seu caminho. Combateu e venceu várias. Outras foram difíceis de enfrentar. Mas quando o soul tocava na pista da VooDoo, a alegria contagiava e prevaleciam a dança, o sorriso, a música. Se sentia em casa. Em família. Sua última passagem por Porto Alegre foi maravilhosa como sempre, iluminando a festa que fez história na Capital Gaúcha – a 2ª VooDoo nos Trilhos – e o show do BNegão & Seletores de Frequência, e os corações de todos que o cercavam.

 

As pistas das festas das quais participava nunca mais serão as mesmas. Mas seus passos continuarão dançando sincronizados sempre que a música soul ecoar nos alto-falantes. A nós cabe continuar acompanhando, mostrar o que aprendemos, seguindo no caminho do bem. E sua alma estará com a gente. Pois “A Lenda” continuará dançando. E não vai parar nunca.

Obrigado por tudo, mestre. Fique em paz.

Soul, música da alma, para dançar com a alma.”
R.I.P. PC Capoeira (16/02/1959 – 31/03/2012)