Bootsy Collins, 60 anos

Ontem, 26 de outubro, o grande baixista e músico do funk 70’s, William “Bootsy” Collins, que afora sua virtuosa carreira solo integrou nada mais, nada menos, que The J.B.’s e Parliament Funkadelic, chegou aos sessentinha!

Um dos maiores nomes da história do funk, Bootsy começou cedo, e parece não querer parar. Em 1968, junto com seu irmão Phelps Catfish Collins, fundou os Pacesetters, que posteriormente foi chamada pra ser a banda de apoio de… JAMES BROWN. E foi esse conjunto que passou a ser chamado de J.B.’s. Os originais! A exemplo dos músicos anteriores, surgiram grandes dificuldades de relacionamento com o Mr Dynamite, rompendo o vínculo. Entre outros, gravou clássicos como Sex Machine, Super Bad e Soul Power.

Logo depois foi apresentado a GEORGE CLINTON, líder do Parliament Funkadelic, pra onde foi com alguns dos músicos dos J.B.’s, incluindo seu irmão. Iniciou-se uma época muito produtiva em sua carreira, pois além de integrar ativamente alguns discos do grupo (em seu auge), como o America Eats Its Young (1972), surgiu a ideia da criação de uma banda paralela, a exemplo do que ocorria com todo o conjunto dos músicos liderados e incentivados por Clinton. A Bootsy’s Rubber Band teve Bootsy Collins à frente, com alguns discos fantásticos na segunda metade dos anos 70, sempre com sua baixoleira VIOLENTA. À esquerda, a capa do de estreia, Stretchin Out in Bootsy’s Rubber Band (1976).

Já nos 80’s, em carreira solo, destaca-se o disco The One Giveth, The Count Taketh Away, de 1982. Após um período um pouco sumido dos estúdios e das grandes produções, no final dos anos 80 participou de um clássico da música pop com o grupo Deee-Lite: Groove is in the heart, de 1990.

 

Em 97, o disco Fresh Outta ‘P’ University resgatou seu funk pesado e groovado. De lá pra cá lançou mais alguns discos, sendo o último esse ano, Tha Funk Capital of the World, contando com participações especiais de Samuel L. Jackson, George Clinton, dos rappers Ice Cube e Snoop Dog, do lendário músico Bobby Womack e do seu irmão Catfish Collins, que veio a falecer durante a produção do álbum, ano passado.

Curioso é saber que Bootsy originalmente era guitarrista e tinha em Jimi Hendrix sua grande inspiração. Designado ao baixo nos J.B.’s, tentava transferir seu afã pela virtuose e pelos efeitos no novo instrumento. James Brown, por outro lado, tentava incutir na sua cabeça o chamado “the one”, um ritmo de baixo mais cadenciado, a grande referência do seu soul. Bueno, foi na psicodelia e na loucuragem do Funkadelic que Bootsy se encontrou, posteriormente descarregando tudo na sua Rubber Band. Foi nesse período que criou personagens como o Bootzilla, vestiu fantasias extravagantes, e passou a utilizar o baixo em forma de estrela (space bass), tornando-a seu símbolo nas roupas, chapéus e óculos. Tem em Larry Graham, baixista do Sly & the Family Stone, criador do slap (técnica de baixo diferenciada, tocando com o polegar, num groove pesadíssimo), outra grande influência.

Bootsy chega aos 60 anos em grande forma. Nos últimos anos já ensinou música de forma voluntária e criou a Bootsy Collins Foundation.

Finalizando a homenagem ao peso pesado do funk, confere aqui esse belo tema, bastante recente, gravado com jovens músicos da Peterson Brothers Band, em prol da sua fundação e do John Lennon Educational Tour Bus, uma organização educativa que visa a prover jovens com música, ensaios, performances e demonstrações através de um estúdio móvel que roda os Estados Unidos no interior de um ônibus.

E tente não sorrir. 😉

 

Saiba mais no AllMusic ou no site oficial do Bootsy Collins.

 

03/05, o aniversário do Pai do Funk

[09/05] VooDoo #03 – Especial James Brown, com participação de PC Capoeira

No dia 03 de maio de 1933, há 77 anos, na cidade de Barnwell, Carolina do Sul, nascia aquele que entraria para a história da música com apelidos como Mr. Dynamite, Mr. Please Please Her, The Hardest Working Man e The Minister of Funk: ninguém mais, ninguém menos que James Joseph Brown Jr. De família pobre e conturbada, quando Brown tinha seis anos foi deixado com uma tia que cuidava de uma casa de prostituição. Na infância e adolescência, foi engraxate, vendeu selos e ganhou alguns trocados lavando carros e louças na cidade de Augusta, Georgia. Aos 16 anos foi enviado para um centro de detenção juvenil: pegaram-no em flagrante comentendo assaltos a mão armada.

james brownFoi na prisão que conheceu Bobby Byrd: ele, que viria a ser integrante dos J.B.’s, a banda mais famosa que Brown conseguiu juntar, conseguiu sua soltura e James, novamente em liberdade, antes de conseguir firmar uma carreira musical, ainda tentou as alternativas do boxe e do beisebol. Brown voltaria a ser preso inúmeras vezes por posse ilegal de armas e de drogas, assim como violência doméstica. Sua estreia em disco acontece em 1956, junto ao grupo vocal The Flames, mas seu nome aparece pela primeira vez como um bandleader em 1958, quando lança o single “Try me” como James Brown and The Famous Flames. Sua primeira gravação de impacto vem em 1963, com o LP ao vivo Live at the Apollo. E daí em diante, bem, todos já sabem: The King of Soul, em sucessivas gravações, não só atinge progressivamente lugares mais altos nas paradas de sucesso como funda um novo ramo na grande árvore da música negra norte-americana. Funda o funk, o mais safado de todos os ritmos já inventados pelo homem. Seus shows eram apresentações extravagantes que reuniam bandas gigantes e artistas convidados, e que duravam muito mais tempo do que qualquer um poderia esperar. Os membros da banda, selecionados entre os melhores, eram regidos por um regime de excelência e multados em dinheiro por usarem calçados não-engraxados, por errarem notas musicais ou por entrarem atrasados no palco. Além de músico, foi um ativista dos direitos negros e há quem diga que um show seu, um dia depois da morte de Martin Luther King, evitou a explosão de uma guerra civil em Boston. Morreu de insuficiência cardíaca causada por complicações de uma pneumonia na madrugada de 25 de dezembro de 2006. Segundo seu amigo Charles Bobbit, suas últimas palavras foram “eu estou indo embora esta noite”.

A VooDoo de maio vai trazer o Godfather of Soul de volta e fazê-lo coordenar mais um ritual. Numa homenagem ao criador do funk, o mais safado dos ritmos, os residentes Rafa Rubim, J. Oster & Dr. Caiaffo trazem pra pista do Cabaret sets especialíssimos, recheados com o melhor da longa carreira de James Brown. No domingo, 09 de maio, semana em que ele estaria completando 77 anos, a partir das 21 horas, venha dançar com ele como ele sempre gostava.

Pra ir aquecendo o corpo, dá uma olhada nessa compilação de passos de dança do Ministro. E já imagina o que vai rolar no dia 09, no comando do mestre PC Capoeira na pista.

Make it Funky!

_______________________________________________________

[09/05] VooDoo#03 – Especial James Brown, com participação de PC Capoeira

VooDoo ESPECIAL JAMES BROWN

A terceira VooDoo rende duas homenagens. A primeira delas é uma homenagem ao grande mestre James Brown, pedra angular da soul music. Maio seria seu mês de aniversário. Suas aparições eram conhecidas como verdadeiros excessos: James Brown fazia VooDoo. Depois de ser trabalhador baixo, bandido, presidiário, jogador de beisebol e boxeador, grooveiro, punguista e agressor de ex-mulher, o professor Brown é a pedra angular da soul music não somente por sua vida de excessos e sua obra musical própria; ele fez disseminar e viu surgir em sua própria banda toda uma boa geração de novos instrumentistas, cantores e cantoras.

No som, os residentes Rafa Rubim, J. Oster & Dr. Caiaffo procuram o mestre e suas confluências no rio da soul music, a terceira margem deste rio.

A segunda homenagem é feita a uma lenda viva do movimento de bailes black,”A lenda que dança”: PC Capoeira, carioca que, desde os anos 70, anima as melhores pistas black do Brasil, hoje residente da maior festa do Rio de Janeiro, no gênero: a “Soul, Baby, Soul”. PC estará em Porto Alegre batendo um papo sobre a história dos bailes black no Rio e no Brasil e apresentará sua oficina de dança durante a tarde de domingo, com início às 18h, na própria pista do Cabaret (confere informações no post abaixo). Depois, às 21h, teremos sua presença na pista do funk VooDoo, liderando todos os participantes do ritual em sua arte.

Aprecie a arte feita por Trampo, fruto da parceria com a Noz.Art.

Aproveitem a Polar em dobro antes das 23 horas.

Esperamos vocês no domingo, 09 de maio.

É cedinho. Pra fazer VooDoo.

Nome na lista do site: $ 8 até 23h! (http://www.cabaretpoa.com.br/voodoo.htm)

Pra concorrer a convites pro nosso ritual, publica o cartaz da VooDoo no teu site, fotolog, flickr, blog ou perfil do Orkut (álbuns destravados) até meio-dia do dia 08/05 e envia o link pro e-mail festavoodoo@gmail.com com teu nome completo, data de nascimento e telefone. Os vencedores serão avisados por telefone no dia 08/05, durante a tarde.

A promoção vale também pro twitter! Usa o seguinte texto: “A @festavoodoo rola no domingo, 09/05, às 21h no @cabaret_!”

Video institucional no Youtube:

http://www.youtube.com/festavoodoo

Facebook:

http://www.facebook.com/group.php?gid=174959508036

QUANDO? Domingo, 09 de maio, 21h.
ONDE? Cabaret!, Independência, 590.
QUANTO? $ 10$ 8 com nome na lista até 23h (dose dupla de Polar até esse horário!)

_______________________________________________________

[09/05] Oficina de dança com PC Capoeira

No dia 09 de maio a Festa VooDoo traz a Porto Alegre “a lenda que dança”, PC Capoeira. Diretamente do Rio de Janeiro para workshop e para agitar a pista do Cabaret. Mais informações com Chaoumile no telefone 9944.6903 ou no e-mail chaoumile@terra.com.br.

Paulo César Mateus, ou simplesmente PC Capoeira, mestre de capoeira e o maior dançarino de black soul music da atualidade no Rio de Janeiro. Aos 51 anos, PC é um dos últimos remanescentes da geração Black Rio. Ainda se encontra na ativa e se faz presente na noite carioca sacudindo as pistas de dança e formando uma nova geração de apreciadores da boa dança que o acompanham onde quer que ela vá.

Com essa trajetória, e suas muitas histórias, PC Capoeira vem a Porto Alegre para ministrar um Workshop de Soul Dance. Com mini-palestra sobre o Movimento Black Rio e a história da música Soul no Brasil, e mais uma grande aula de dança para quem quer aprender a se virar na pista. Trazendo passos diferentes, mas de fácil execução, a aula de dança realmente vai movimentar o público. Com técnicas perfeitamente compreensíveis, serão ensinados passos como Pião, Bailarino, Slow Pass, Spaguethi entre outros que são característicos do estilo e do próprio PC Capoeira.

Abaixo um pouco do que o homem é capaz. Tem mais na seção Videos VooDoo.

Data: 09/05/2010

Horário: 18h

Local: Cabaret (Independência, 590)

Inscrição: antecipado R$30,00; na hora R$40,00.

Inscrições e mais informações: (51) 9944-6903 ou chaoumile@terra.com.br

Aniversariantes têm 50% de desconto.

Grupos: A cada 5 inscrições, 1 é de graça.

_______________________________________________________